21 de janeiro de 2010

A síndrome do golo sofrido

É uma tendência que parece ter vindo a aumentar à medida que o campeonato avança: a equipa só joga quando se vê em desvantagem no marcador. Apesar de batalhar durante todo o jogo, só causa problemas aos adversários quando se encontra a perder. Isto repete-se jornada após jornada.

Nota-se que há uma clara falta de motivação em vários elementos do plantel, e essa desmotivação só é substituída pela vontade de vencer quando os jogadores vêem o adversário marcar.

Será isto normal? Será que a equipa perdeu a confiança no seu treinador? Espero bem que não. O FC Porto não está em condições de até os seus jogadores andarem a brincar com o próprio esforço. Neste momento, e mais que nunca, temos de puxar todos para o mesmo lado para contrariar esta tendência a que chamo de a síndrome do golo sofrido .

Espero que já no próximo jogo a equipa entre a matar, porque é assim que se ganham os jogos. Não podemos voltar a dar avanço aos adversários, temos de jogar para ganhar do primeiro ao último minuto. É assim que se fazem os campeões. E nós, mais que ninguém, devíamos saber isso.