13 de setembro de 2010

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades...

2009/2010 (Após o caso do túnel)
"O pior que pode acontecer no futebol é não saber perder. Neste momento acredito que os árbitros não errem premeditadamente. Apesar de ainda haver um ou outro. Nesta época não falamos de arbitragens."

2010/2011 (À 3ª jornada!)
"Nós não gostaríamos de estar a falar de arbitragem mas são factos. Se os critérios na arbitragem fossem iguais, o Benfica teria mais pontos."

Ambas as declarações são de Luís Filipe Vieira. Durante o tempo que separa as duas entrevistas apenas uma coisa mudou, a classificação da Liga. Porque quando o Benfica estava a ser "embalado" pelo CD da Liga e pelas arbitragens ninguém ligado a esse clube se indignava. Aliás, repare que o indivíduo em questão até confiava nos árbitros!

Repare também que a entrevista desse senhor veio antes do jogo de Guimarães onde, aí sim, foram prejudicados. Não tanto como dizem, mas foram. Mas também toda a gente sabe que o Sr. Olegário tem muitas dificuldades em ver grandes-penalidades. O Sr. Vieira ainda se deve lembrar que, no jogo em que quase (Quase!) eram campeões no Dragão, o Sr. Olegário transformou uma grande-penalidade a favor o FC Porto num 2.º cartão amarelo para o Fucile. Já nem falo do jogo onde eliminaram o Nacional da Taça da Liga onde, esse mesmo senhor, depois de ver o seu auxiliar anular um golo limpo ao Nacional, protegeu o Luisão de um sumaríssimo ao dar-lhe um amarelo (!) depois deste ter dado dois pontapés num adversário.

Voltando à entrevista, o Sr. Vieira (já que estava numa de falar de erros) podia ter referido que contra o Vitória de Setúbal o árbitro em questão errou em perdoar três cartões vermelhos ao Cardozo por outras tantas agressões a adversários (neste caso até dou razão ao árbitro, se os punha a jogar com nove a esta hora se calhar estavam com zero pontos e ai é que ninguém aguentava o choro). Ou então podia ter apelado ao CD da Liga para estudar bem o vídeo do jogo da Supertaça deste ano, pois se ainda fosse o Sr. Ricardo Costa o presidente desse organismo havia ali tema para uns cinco sumaríssimos a jogadores do Benfica (pois, se calhar não havia... Esse sabia quem castigava...).

Como disse o Sr. Manuel Machado, é muito difícil sorrir no momento da derrota.