22 de março de 2012

Porque mente Jorge Jesus?

Mente porque sabe que está a agir mal. Onde escrevi "mal" leia-se "contra a lei". Mente descaradamente e de todas as maneira que pode.

“Nas leis do jogo não existe a palavra bloqueio. Existe sim antecipação. Isto é uma forma de alertar para a qualidade das nossas bolas paradas. Não trabalhamos bloqueios, isso é no basquetebol. O que eu digo aos meus jogadores é que, quando estão agarrados, têm de arranjar maneira de deixarem de estar agarrados. Eu quero é que os árbitros vejam o que fazem aos nossos jogadores. É natural que os jogadores se agarrem uns aos outros. Mas os grandes prejudicados somos nós, pois o Luisão e Javi são sempre agarrados. Aliás, no segundo golo frente ao FC Porto o Luisão está a ser agarrado. No meio desta situação, os jogadores do Benfica são sempre os prejudicados”.

 A imagem não deixa dúvidas, mas se juntarmos a isto as declarações de antigos jogadores que trabalharam com o actual treinador do Benfica a situação fica bem clara: Jorge Jesus é um mentiroso compulsivo e é um especialista em sacudir a água do seu capote.

Jorge Coroado não podia ser mais claro em relação a este assunto: “O bloqueio será sempre considerado falta quando o jogador não tem objectividade na disputa da bola e antes e só na perturbação do adversário. É falta sempre que um jogador se interpõe entre o adversário e a bola, não se preocupando em jogá-la e sim em travar a marcha do adversário.

Já na altura da vitória do FC Porto frente ao Benfica por 3-2 para o campeonato, foram publicados em vários blogs de apoio ao FC Porto posts a alertar para esta situação, concretamente para o lance do 2-2 em que Luisão vem de posição de fora-de-jogo bloquear o Rolando para o Cardozo aparecer completamente só e fazer o golo. O que diz a lei do jogo sobre o assunto?
Lei 11
Um jogador na posição de fora-de-jogo só deve ser penalizado se, no momento em que a bola é tocada ou jogada por um colega de equipa, o jogador toma, na opinião do árbitro, parte activa do jogo: intervindo no jogo ou influenciando um adversário ou tirando vantagem dessa posição.
É pena que os responsáveis do FC Porto tivessem acordado tarde para este assunto. Jorge Jesus já está quase há três épocas no comando do Benfica e só depois de termos sofrido golos duas vezes seguidas com estes truques é que alguém decidiu falar. Lamentável.