12 de fevereiro de 2013

Os retornados

James Rodriguez está em vias de abandonar os cuidados do departamento médico e ser mais uma opção para Vítor Pereira, tal como Christian Atsu, que regressa da CAN.


Ambos os jogadores jogam em posições que, neste momento, são as mais frágeis da equipa e, se em jogos como Vitória ou Gil Vicente não se notou assim tanto a ausência, no passado Domingo foi por de mais evidente essa lacuna.

No 4-3-3 ou 4-qualquer-coisa-parecida-com-um-4-3-3 de Vítor Pereira, os movimentos e dinâmicas criados pelos extremos e alas são fundamentais e, frente à equipa de Olhão, o Porto afunilou em excesso o jogo demasiadas vezes, faltou alguém que corresse e furasse bem pela linha, ou pela ala, e criasse um desequilíbrio em velocidade ou com uma desmarcação bem calculada. Faltou isso e, claro, acerto na hora de atirar à baliza.


Espera-se que, para além de mais opções, a equipa ganhe outra frescura e fulgor no ataque, numa altura em que se aproxima a fase mais delicada da época, sem querer com isto fazer do ganês e do colombiano os salvadores da pátria. É inegável que a equipa tem sofrido, ao longo deste mês e meio, com a falta de opções, e é essencial que haja o maior número possível de jogadores prontos a ajudar.

A dúvida recai agora em saber se Atsu será ou não titular em Aveiro, e se James Rodriguez estará em condições de, pelo menos, ser chamado aos convocados.