18 de março de 2013

Têm a palavra os jogadores


Falta força física e mental, falta sorte, falta inspiração, falta velocidade, falta confiança. Falta-nos tanta coisa mais.

Em pouco tempo o caminho para o Tri passou de vertical e aberto para sinuoso e quase fechado.

Quase.

Estamos na fronteira entre a frieza da razão e a transcendência da emoção no que à esperança pelo Tri diz respeito. Uns desistem, outros hesitam, outros batem o pé e dizem "esta merda ainda não acabou".

Mas a palavra está nos jogadores. Anímica e fisicamente estão quase de rastos pelo que, ao contrário do que é normal, a paragem para jogos das selecções pode vir numa boa altura, uma vez que poderá permitir fazer um "reset". Respirar fundo, reflectir, corrigir e avançar para a recta final.

Fé e esperança à parte, se a equipa voltar e permanecer naquilo que já foi esta época, temos de acreditar. Não sei se será possível ou não, mas se for temos de acreditar.
Se seguirmos esta linha de desinspiração, fraqueza e desconfiança, só um milagre nos levará ao Tri.

Têm a palavra os jogadores e equipa técnica.