29 de junho de 2013

Breve análise às movimentações no mercado e à situação financeira do clube

Nota prévia: Não sendo eu um especialista em Economia é natural que possa haver pequenas imprecisões na análise. Além disso são ainda desconhecidos os valores oficiais de algumas das transferências, nesses casos tive de assumir como verdadeiros valores apontados pela comunicação social. Tendo em conta isto, peço que deixem na caixa de comentários a correcção a eventuais erros que encontrem neste post. Embora o seu objectivo seja apenas fazer um pequeno ponto de situação, gostaria de o fazer da forma mais rigorosa possível.


No último Relatório&Contas ficou-se a saber que o FC Porto tem uma divida de 70,8 milhões de euros a pagar a curto prazo. A situação ficou praticamente controlada só com a venda de Moutinho e James ao Mónaco que, após descontar aos 70 milhões de euros as partes devidas a terceiros, deu ainda 62 aos cofres do clube. Convém ainda referir que não são estas as únicas fontes de receita do clube.

Resolvida esta situação, a SAD ficou em mãos apenas com tarefa de definir o plantel para a próxima temporada. Até à data, chegaram ao clube os seguintes jogadores (valores em milhões de euros):
- Licá (2)
- Josué (0,5)
- Herrera (8)
- Reyes (3,5 - Foi comprado por 7 mas entretanto o clube vendeu 47,5% do passe por 3,5)
- Tiago Rodrigues (1)
- Ricardo (1)
- Carlos Eduardo (1)

Foram investidos um total de 17 milhões de euros no plantel e falta ainda comprar um avançado e um ou dois extremos. Os rumores apontam para a vinda de Ghilas juntamente com Bernad e/ou Quintero.

Segundo a análise que fiz ao plantel no meu post anterior, Bracalli, Fernando, Otamendi, Atsu, Rolando, Sereno, Izmaylov, Djalma e Ukra devem estar de saída do clube. Conseguirá a SAD fazer com estes negócios dinheiro suficiente para financiar as compras que já foram feitas até ao momento e ainda os dois/três reforços que ainda faltam? Sinceramente, parece-me que sim. Pelo menos a maior parte.

Nota-se algum receio em muitos portistas com os valores falados na comunicação social para a aquisição de alguns jogadores. Quintero é mencionado com um valor entre os 8 e os 10 milhões de euros, enquanto que para o Bernard será preciso desembolsar entre 18 a 22 milhões. No entanto, não acredito que o FC Porto assuma sozinho o risco na aquisição destes atletas, principalmente o Bernard. É minha convicção que o brasileiro só vestirá a camisola azul-e-branca se houver um ou mais investidores com quem partilhar o seu passe.

Muitos apelidam de "Gestão de Risco" a gestão feita pela SAD portista. No entanto, estes já deram provas de saber o que fazem e, caso as vendas que se façam a partir de agora consigam financiar em larga escala o investimento feito no plantel, o FC Porto terá no Verão de 2013 um dos mercados mais produtivos de sempre para o clube.