31 de outubro de 2013

Motivações

No passado dia 26, O Jogo dava conta de que esta época o FC Porto já havia sofrido mais golos nos últimos 10 minutos de jogo do que em toda a época passada (4-3). Todos nós sabemos que um golo nessa altura pode ser fatal porque diminui o tempo de inverter um eventual mau resultado. Por aqui já abordamos o assunto do ponto de vista táctico, hoje olharemos a partir de uma nova perspectiva.

O que temos visto esta época é uma equipa que quando se encontra em vantagem no marcador vai deixando progressivamente de controlar o jogo. O passado recente - últimos três anos - mostram-nos que não se trata de uma questão de incapacidade. Será, então, uma questão estratégica ou uma questão motivacional.

Caso se trate de uma questão estratégica é bastaste curioso, uma vez que as características dos nossos jogadores de ataque não aconselha a preferência pelo contra-ataque. Acredito que é um erro fazer isso voluntariamente, por isso custa-me a acreditar que Paulo Fonseca queira trabalhar a equipa nesses moldes, uma vez que a falta de velocidade no ataque era a maior lacuna conhecida na equipa quando comandada por Vítor Pereira. Resta-nos os factores motivacionais.

A maioria dos jogadores do FC Porto já venceram quase tudo o que havia para vencer em Portugal. É natural que tenham mais dificuldades em se auto-motivar como aqueles a que pouco ou nada ganharam. Aqui o papel do treinador e toda a estrutura é fundamental. Se até agora era difícil ir buscar força a algum lado, os recentes acontecimentos podem ter sido um ponto de viragem.

A soberba exibição em inferioridade numérica frente ao Zenit, a situação complicada no grupo da Liga dos Campeões e o tratamento por parte da imprensa no pré e pós-jogo frente ao Sporting podem ser fundamentais para motivar um grupo que adquiriu este domingo mais um motivo de desinteresse: uma vantagem de cinco pontos para o segundo classificado.

Se os recentes indicadores de melhorias exibicionais continuarem, os resultados serão ainda mais positivos e, assim sendo, quem terá de arranjar motivação extra serão os nossos adversários. Mas desta feita para recuperarem os vários pontos de atraso a que se encontrarão de nós.