7 de outubro de 2013

Preocupante

Estou preocupado com o nosso nível exibicional mas, mais que me as exibições, preocupa-me a mentalidade do "o que interessa são os três pontos" que se tem instalado em alguns portistas. Essa mentalidade de clube pequeno, diria, é aceitável quando a equipa vem de um bom momento, em que vence e convence, e, durante um jogo ou outro, faz um jogo menos conseguido. Nesta situação também defendo que, não havendo um bom espectáculo, se consiga pelo menos a vitória. Mas não é de todo o caso do FC Porto.

Todos nós temos visto as exibições miseráveis que a equipa tem feito. Há inúmeras teorias para isso, mas penso que o motivo mais óbvio para a confusão táctica que por vezes reina é a forma precipitada como o treinador quis impor as suas ideias. O Paulo Fonseca cometeu um erro enorme ao tentar mudar tudo de uma vez e em pouco tempo. Faz lembrar o FMI que usa a mesma fórmula em todos os países ignorando as especificidades de cada um deles. O 4-2-3-1 pode ter resultado em todos os clubes por onde o Fonseca passou até agora, pode muito bem vir a resultar no FC Porto, mas foi uma estupidez pegar numa equipa que tinha um trabalho de dois anos virado para as características dos jogadores e rasgar tudo para começar do zero.

Espero que o Paulo Fonseca já esteja consciente disso e que não seja preciso um novo mau resultado para que decida alterar alguma coisa. Não basta só trocar jogadores, é preciso ajustar a forma da equipa jogar. É verdade que o mais importante são os resultados, mas um treinador não se pode escudar neste chavão quando a equipa joga tão mal. "O importante são os três pontos" mas, a jogar assim, aumentámos exponencialmente as probabilidades de não os conseguirmos.