29 de outubro de 2013

Sentido vocês não fazem

Estava tudo preparado para uma noite de futebol nunca antes vista na aldeia. O FC Porto, para melhor aproveitar a vinda do clube da cidade, mandou instalar uma bancada amovível no seu humilde estádio. Afinal, não é todos os dias que se enfrenta um adversário que ainda há cinco anos disputou a Liga dos Campeões e só caiu aos pés do poderosíssimo Bayern de Munique. O resultado acumulado das duas mãos, 1-12, em nada reflecte aquilo que se passou em campo, diz quem viu que a superioridade do Sporting foi evidente e que foi nos pequenos detalhes que perderam para os alemães.

Voltando ao jogo de domingo, quando faltavam cerca de duas horas para o jogo, já muitos portistas se encontravam nas imediações do estádio. Muitos em cima de árvores e dos (poucos) edifícios com visão para o campo. Ninguém queria perder a oportunidade de ver o seu FC Porto jogar contra a maior potência do desporto europeu. Foi quando chegou um grupo de sportinguistas, sem qualquer identificação clubística como é tradição na civilização, começaram a descer a rua - que até há bem pouco era em terra batida mas que nessa semana havia sido coberta com gravilha para honrar a ocasião - enquanto insultavam e arremessavam objectos na direcção de quem lá se encontrava. Os portistas, como não estavam habituados a esse tipo de demonstração cultural, acharam que deviam responder na mesma moeda em vez de se limitarem a apanhar. A falta de informação tem destas coisas.

Em campo aconteceu a surpresa. O FC Porto fez história e, em grande esforço, bateu o Sporting por 3-1. Claro que a superioridade leonina no relvado - muito mal tratado, admito - foi evidente. No entanto, como é característico nas pessoas da aldeia, os jogadores portistas fizeram das tripas coração. Era o jogo da vida deles e aproveitaram-no para se mostrarem. Do outro lado notou-se uma certa sobranceria. O que até se percebe, é difícil jogar motivados contra equipas de regiões remotas, onde ainda se pratica um futebol rudimentar.


Entretanto o Sporting emitiu um comunicado onde, entre outras coisas, afirma que «vários Sportinguistas foram agredidos nas imediações do estádio do dragão. Ao invés do clube da casa repudiar totalmente estas atitudes, como esta Direcção já o fez em situações similares, começou a circular um rumor de que um grupo de Sportinguistas teria provocado desacatos, facto ainda não confirmado, que “justificaria” tais atitudes bárbaras e inqualificáveis. Até ao momento, ao serem vistas as imagens televisivas e fotográficas disponibilizadas, verificou tratar-se de um conjunto de pessoas onde as únicas que se conseguem identificar são do clube da casa;».

Os actos de violência são sempre lamentáveis, principalmente quando dirigidos a pessoas que estavam no seu cantinho a agredir e insultar sem provocar ninguém. No entanto fiquei bastante confuso com o sublinhado. Afinal eram sportinguistas ou não? Certamente que isto tem uma explicação lógica e que não se trata apenas de uma tentativa de vitimizar os citadinos e culpar os aldeões.

Em principio tudo ficará esclarecido hoje, por volta das 20:00, quando Bruno de Carvalho falar à corte. Peço a todos os portistas que procurem alguém com televisão em casa para dessa maneira poderem ouvir as palavras sábias que tão douta pessoa certamente irá proferir. Isto se já lhe tiver passado a confusão que tomou conta de todos os sportinguistas com o choque de ver a sua equipa perder contra outra bem inferior, o tal FC Porto.


Um último apelo aos portistas. Proponho que, à imagem do que foi feito em 1948 para celebrar a vitória sobre o Arsenal de Londres, nos unamos no sentido de fazer também nós um troféu que imortalize esta vitória frente ao Sporting, equipa que ainda na semana passada goleou por 8-1 o poderoso Alba. Seria uma peça inestimável para o nosso humilde museu.