6 de novembro de 2013

Dezasseis-avos-de-final


Hoje joga-se a passagem aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Embora Paulo Fonseca não o ache - ou não o queira dizer -, e o mostre afirmando que "o jogo tem uma importância grande para as duas equipas, mas acaba por não decidir nada", uma derrota na Rússia coloca um ponto final nas aspirações do FC Porto em passar à próxima fase. Mesmo o empate será um mau resultado para os portistas, pois deixa o Zenit a depender de si para seguir em frente. Assim sendo, só a vitória interessa. Só a vitória permite ao FC Porto depender apenas de si para continuar em prova.

O jogo cinzento em casa do Belenenses não pode ser repetido esta tarde. O FC Porto terá de jogar com a intensidade que jogou a espaços frente ao Sporting ou com o carácter com que enfrentou o próprio Zenit com apenas dez homens desde o sexto minuto do desafio realizado no Dragão. Só assim será possível conquistar os três pontos e, consequentemente, subir ao segundo lugar do grupo.

Aquando do sorteio nunca pensei chegar a esta altura numa situação tão má. A minha previsão seria mesmo ter os nove pontos possíveis, talvez sete devido a um eventual deslize. A verdade é que a qualidade de jogo do FC Porto em nada melhorou - se é que não piorou - desde o dia 29 de Agosto e, por isso mesmo, corre agora sérios riscos de ser relegado para a Liga Europa numa altura em que deveria estar no primeiro de três jogos em que uma vitória daria o apuramento para a próxima fase da Liga dos Campeões.

A equipa tem apresentado um nível superior quando confrontada com adversários de maior valia, por isso acredito que hoje estará à altura do desafio e que lutará pela vitória independentemente das escolhas do treinador para o onze titular e para a forma como a equipa jogará. Se há alturas em que é preciso toda a gente a puxar para o mesmo lado, hoje é uma delas.