4 de novembro de 2013

Fucile e as ausências por motivos pessoais


Desde dia 30 do passado mês que sabemos que Fucile está de saída do FC Porto. O jornal O Jogo noticiou a vontade do jogador em sair para jogar de forma mais regular e a verdade é que há vários dias que o uruguaio não treina com o plantel. Nas várias notas publicadas no site oficial, o FC Porto justifica a ausência com alegados motivos pessoais.

Tantos dias de ausência por motivos pessoais levantam a curiosidade de qualquer um, mais ainda quando se sabe que o jogador em questão teve problemas disciplinares com o anterior treinador, que levaram a que fosse mantido à margem do grupo durante a segunda metade da época passada. Mesmo sendo conhecida a carência de opções para as laterais defensivas, Vítor Pereira recusou a reintegração de Fucile.

Com a saída de Vítor Pereira e a chegada de Paulo Fonseca, a SAD achou por bem dar uma nova oportunidade ao lateral. Fucile seria uma boa opção quer para Danilo quer para Alex Sandro e evitava que fosse preciso ir ao mercado. Uma decisão que, face ao referido, aplaudi.

No entanto, corre o rumor que durante um treino da semana passada, o uruguaio insultou à frente de todo o grupo de trabalho o treinador Paulo Fonseca. A verdade é que , como escrevi acima, Fucile já não treina há vários dias por motivos pessoais. Isto faz com que o que se tem escrito pela Internet sobre a eventual falta de respeito ao treinador ganhe contornos de verdadeiro. Acrescento apenas que este acontecimento foi relatado por pessoas que, aparentemente, costumam ter informações privilegiadas junto de pessoas que trabalham no clube ou na imprensa.

Com ou sem insultos, parece mesmo que Fucile chegou ao fim do seu percurso com a camisola do FC Porto. Víctor García e Quiño, ambos actualmente na equipa B, deverão ser os principais beneficiados com esta situação, aumentando substancialmente as hipóteses de serem chamados à equipa principal. Uma situação a acompanhar nas próximas semanas e que terá o seu desfecho no mercado de janeiro.