10 de novembro de 2013

Uma equipa pequena com jogadores de equipa grande


Tenho cada vez menos paciência para isto e mais tristeza ao ver esta equipa jogar. Sim, continuo a acreditar que podemos fazer uma boa época - mesmo com a Champions presa por um fio - mas no momento actual olho para aqueles rapazes de camisola azul e branca e não vejo o verdadeiro Porto.

Também me cansa estar sempre a dizer a mesma coisa jogo após jogo. Joga-se com uma mentalidade muito mais próxima à de uma equipa pequena do que "à Porto". Aliás, jogos "à Porto" foi coisa que raramente vi esta época, quanto muito vi em certas fases de alguns jogos.

Não se dá primazia à posse bola? Ok, tudo bem, mas acertem os poucos passes que querem fazer. Baixam-se as linhas depois de chegar à vantagem? Aceito, mas não deixem o adversário rematar uma, duas, três, quatro (etc...) vezes, não se ponham tanto a jeito. Porque se os executantes do Vitória são de baixa qualidade, aqueles que jogam connosco a meio da semana não são. Não é preciso nenhum milagre para sofrer um golo e olhando às palhaçadas que têm feito na defesa já deviam ter percebido isso.

Por variadíssimas vezes, acabamos por ser superiores aos adversários não por aquilo que fazemos como equipa, não pela coesão que demonstramos a todos os níveis, não pela forma como não deixamos o opositor chegar perto da área. Vencemos porque temos melhores jogadores, de melhor qualidade.

As fases do jogo com bom futebol colectivo têm de ser a regra, não a excepção. Oxalá a paragem para os compromissos internacionais sirvam para a equipa fazer um "reset" e regressar mais próxima àquilo que é esperado. Já sabemos que houve erros na construção plantel, mas continuamos a ter qualidade mais do que suficiente para jogar bom futebol.