3 de dezembro de 2013

Acreditar para vencer

Jorge Jesus disse na passada terça-feira que o Benfica tinha de vencer para acreditar. No FC Porto as coisas processam-se de outra maneira, aqui é preciso acreditar para vencer.

O que temos visto em campo ao longo desta época é uma equipa do FC Porto que não acredita em si própria, que desconfia se será capaz, que desconfia das opções do seu treinador. O resultado está à vista e teve no jogo de Coimbra o seu ponto mais baixo. Isto fez Paulo Fonseca ponderar, admitir os seus erros e colocar o lugar à disposição. Pinto da Costa segurou-o. O presidente acredita no treinador, acredita que este tem o que é preciso para corrigir o que tem feito de mal e levar o FC Porto ao seu destino: vencer.

Segundo a imprensa, o treinador do FC Porto admitiu perante alguns elementos da SAD, os capitães e um pequeno grupo de adeptos que se tinha equivocado em algumas coisas, desde a forma como quer que a equipa jogue até à forma como trata os problemas com o plantel. Terá sido este mea-culpa que fez Pinto da Costa dar um voto de confiança ao treinador? Acredito que sim.

Parece que Paulo Fonseca finalmente percebeu que os problemas da equipa que orienta estão longe de ser apenas a finalização e que, ultrapassando esse problema, está longe de ser uma equipa quase perfeita. É preciso acertar o meio-campo que teima em não acertar em 4-2-3-1, é preciso ser mais rápido a agir a partir do banco e é preciso castigar com a perda da titularidade os maus desempenhos constantes. Isto compete ao treinador corrigir o mais rapidamente possível, o resto compete à SAD.

A partir do momento que o treinador apresentou a sua demissão e a Administração decidiu recusá-la, esta passa a ser a única responsável pelo que acontecer a partir desse ponto. Assim sendo, além do voto de confiança, é preciso que a SAD ajuste também o plantel já em Janeiro. A falta de um extremo era visível há muito e é com bons olhos que vejo o provável regresso de Quaresma ao Dragão.

Agora que SAD e treinador parecem ter admitido as suas falhas e estão empenhados em corrigi-las, cabe aos portistas ter mais um pouco de paciência e acreditar que é possível.