11 de fevereiro de 2014

Carta aberta aos jogadores do FC Porto

Vamos directos ao assunto: esta época está a ser desastrosa. É verdade que o FC Porto ainda pode ganhar tudo a nível interno e que, apesar da eliminação da Liga dos Campeões, ainda se encontra na Liga Europa. Um optimista diria que ainda estamos em quatro frente. Eu também costumo ser assim, mas este ano o meu lado realista conseguiu superar o optimista. E a realidade é que o futebol que vocês (não) praticam deixa qualquer adepto neste estado. Não foi à toa que esta época se quebrou o recorde de assistência mínima no Estádio do Dragão em todas as competições.

Mas vamos ao que interessa: eu confio em vocês. Muitos de vós já estavam cá nas últimas épocas e sempre mostraram capacidade para fazer mais e melhor. Os que estão agora no primeiro ano de Dragão também, de certeza que não foi a jogar assim que convenceram um clube como o FC Porto.

Quem acompanha este blog sabe que por aqui sempre se olhou com desconfiança para aquele que vos comanda. Sempre tentei dar o beneficio da dúvida mas cedo percebi que a jogar desta maneira não íamos lá. E por "lá" leia-se "ao tetracampeonato". Percebi e escrevi-o aqui ainda tudo eram vitórias. Desde esse dia até hoje, Paulo Fonseca só conseguiu acrescentar mais erros aos que já tinha cometido. Por mim já não era ele que estaria à frente do meu clube. Por mim e por muitos de vós, que são aqueles que têm de ir para campo fazer as loucuras que ele vos pede enquanto são brindados com assobiadelas monumentais, que só não são maiores porque o Dragão está cada vez mais vazio...

Já se percebeu que a SAD também não quer saber. Escolheram um treinador mau, cometeram um erros e para não o admitir estão a cometer outro ao não o demitir. Assim sendo, está nas vossas mãos dar a volta à situação. Está nas vossas mãos entrar na história do clube como aqueles que esvaziaram o Dragão ou como aqueles que foram campeões a jogar em piloto automático.

Não deixem que a incompetência de terceiros vos faça passar também por incompetentes. Vão para o campo e façam aquilo que sabem, não aquilo que alguém que não sabe o que diz acha que vocês deviam fazer. Lutem e ganhem isto por vós e por nós, os adeptos. O campeonato ainda pode ser nosso.

Eu acredito em vocês.