21 de fevereiro de 2014

Carta aberta a Pinto da Costa


Estimado Presidente do meu Futebol Clube do Porto,

o nosso clube vive dias muito difíceis e o senhor não está isento de culpas. Foi enganado pelo Paulo Fonseca, que não cumpriu o que prometeu, e agora está a enganar-se a si e a todos os portistas ao manter um treinador sem capacidade para liderar uma equipa desta dimensão.

Na da apresentação do seu mais recente livro confessou que em 2012, preparando-se para o pior aquando da sua operação ao coração, escreveu quatro cartas, sendo que uma delas seria para o seu sucessor na presidência do clube. Felizmente que a carta não foi precisa e que o sucessor ainda terá de esperar. Não foi precisa na altura, mas se calhar seria útil hoje. Se ainda a tem consigo pegue nela e leia-a, reflicta no conteúdo da mesma. Se achar necessário leia-a na próxima reunião da SAD e pensem todos em conjunto. Será que o pedido que deixou por escrito ao seu sucessor está a ser cumprido por si? Será que esta época estamos a ser Porto?

Dito isto, o Paulo Fonseca não tem condições para continuar. Já ninguém confia nele, dos adeptos aos jogadores. “As decisões têm de ser tomadas no momento exacto. Se forem tomadas antes, podem ser precipitações. Se forem tomadas tarde, podem ser remendos", lembre-se das suas palavras. Cada dia que passa é um dia a menos para reverter já esta época a situação. Pense porque motivo nunca resultou mandar embora um treinador com a época a decorrer. terá sido por ir sempre quando já tudo estava perdido?

Se não quer "queimar" um treinador, aposte num treinador interino. O Luís Castro tem feito um bom trabalho na equipa B. Os portistas não são parvos, ninguém exigira nada impossível a quem chegar agora, apenas que ponha a equipa a jogar de forma decente e que prepare as bases para a próxima época.

Garças a si, no FC Porto ninguém aceita a derrota sem lutar. Esta época está a acontecer precisamente o contrário. Lute! Por si, por nós, pelo Futebol Clube do Porto.