20 de fevereiro de 2014

É vergonhoso

O FC Porto tem boa equipa. Ou pelo menos tem bons jogadores. Foi com naturalidade que mesmo mal distribuídos em campo chegaram ao 2-0 e a vantagem só não se manteve, ou até aumentou!, porque no banco de suplentes está um treinador que não tem a mínima noção do que está a acontecer dentro de campo.

Há alguns jogos que o famoso duplo pivot deixou de ser o grande problema. Com a entrada de Herrera na equipa o meio-campo, pela pessoa do mexicano, ganhou capacidade para se libertar dessa aberração táctica e meter mais um jogador na manobra ofensiva. Isso foi bem visível hoje contra o Eintracht Frankfurt. O que também foi bem visível foi o Josué a não participar na manobra defensiva e, graças a isso, os alemães tinham sempre muito espaço no centro do terreno. Em vantagem no jogo o que faz Paulo Fonseca? Recua definitivamente Herrera para o lado do Fernando e mantém o famoso 10 clássico que só joga quando a equipa tem a bola.

Com estas alterações as dificuldades aumentaram porque foi tirado raio de acção a Fernando e a liberdade de pressionar a Herrera, que são só duas das principais armas de cada um deles. Um treinador na verdadeira acepção da palavra teria recuado o Josué - e mais tarde o Carlos Eduardo - para junto do Herrera e promovido a circulação de bola para gerir a vantagem, o jogo e a eliminatória.

Paulo Fonseca é demasiado teimoso e acha que recorrer ao 4-3-3 é sinal de fraqueza, tal como o seu mestre Jorge Jesus. E neste momento o FC Porto é uma imitação fraca do Benfica de Jorge Jesus, com todos os seus defeitos e com quase nenhuma das suas virtudes. Estamos a ganhar? Há que marcar mais! Estamos empatados ou a perder? Fácil, tira-se um médio e mete-se um avançado! Não chega? Sai um defesa. E por aí fora.

O desnorte é tal que o homem acha que jogou contra o Bayer Leverkusen. Aqui até superou o mestre, que se limita a pronunciar mal o nome dos adversário. Paulo Fonseca levou isto para outro nível ao não saber quem é o adversário.

É vergonhoso que a SAD continue a apoiar alguém que desde que chegou não deu o mínimo sinal de poder melhorar. É vergonhoso que os adeptos tenham de ver uma boa equipa ser destruída a cada dia que passa. É vergonhoso ver o FC Porto em dificuldades contra qualquer adversário.