1 de maio de 2014

Uma estupidez como outra qualquer

Esta foi a capa do jornal O Jogo dois dias após a eliminação do FC Porto na Liga Europa. A minha convicção é que tudo isto não passou de uma jogada para acalmar os portistas que, como não estão habituados, ao perder querem logo ver sangue. Desde os jogadores, passando pela equipa técnica, até chegar à direcção, pede-se a demissão de tudo e de todos, fazendo questão de em muitos casos esquecer um passado de vitórias que as pessoas em questão deram ao clube. Alguns parecem mesmo viver num mundo à parte, mundo esse onde tudo que ao FC Porto diz respeito é mau.

Como já tive oportunidade de escrever, não acredito que o plantel precise de uma renovação profunda. Se o clube não precisasse de dinheiro, o caminho seria contratar um médio e um ou dois extremos de qualidade indiscutível para entrarem directamente no onze e pelo menos um defesa lateral que rivalizasse com o Danilo e o Alex Sandro. O resto seria apenas vender ou emprestar aqueles que não se conseguiram afirmar e substitui-los por outros que tenham mostrado potencial. Claro que tudo isto pressupõe que na próxima época o treinador será alguém que sabe o que está a fazer. Mas o clube precisa de dinheiro, de muito dinheiro.

A parte da obrigação de vender até Junho é que se pode revelar uma estupidez de todo o tamanho. Com o Mundial a decorrer entre 12 de Junho e 13 de Julho e com jogadores como Jackson, Mangala, Fernando, Defour e Varela com grandes possibilidades de o disputar, será muito imprudente proceder à venda de qualquer um deles por valores que não se aproximem das cláusulas de rescisão sem lhes dar oportunidade de valorização nesta grande montra. Estou ciente que atrasar as vendas pode significar fechar o ano com prejuízo, mas pior que isso seria perder muitos milhões à custa de pensar apenas no presente e nunca no futuro.