19 de outubro de 2014

32869 inúteis

Já é um debate antigo um pouco por toda a Internet e um tópico recorrente entre portistas. Assobiar ou não assobiar? Há opiniões para todos os gostos mas, no fim, a maior parte das pessoas admite ter a noção que o facto de se assobiar um jogador em particular ou toda a equipa em nada ajuda e que, quase sempre, até atrapalha. O que se assistiu ontem no Estádio do Dragão foi, uma vez mais, exemplo disso mesmo.

O FC Porto iniciou o jogo com todo o apoio do mundo, mas a situação inverteu-se quando a equipa se viu a perder por 1-2. Já na segunda parte, após Jackson ter permitido a Rui Patrício defender o penálti que devia ter dado o 2-2, os portistas presentes no estádio decidem que a melhor solução para apoiar a equipa que até entrou bem na segunda parte é recorrer ao assobio. Enquanto que os sportinguistas cantavam alegremente "Pinto da Costa vai p'ó caralho", os dragões (assim mesmo, com letra minúscula) ouviam em silêncio e só o interrompiam para assobiar a saída de bola da equipa ou um atraso para o guarda-redes. Prioridades.

Nota: A assistência oficial do jogo foi de 36869, aos quais subtraí os 4000 adeptos visitantes (que duvido seriamente que seja real) para chegar ao número presente no título. Além disso, estou consciente que nem todos os portistas presentes assobiaram a equipa. A esses, um bem-haja.