23 de outubro de 2014

A importância da comunicação

"Vivemos na Era da Informação", é uma das frases que mais se ouve e lê por aí. Vivemos na Era da Contra-Informação, acrescento eu. Nós, portistas, estamos habituados a ler no inicio de todas as épocas que alguém ligado ao FC Porto afirma que o clube é candidato a vencer tudo, Liga dos Campeões incluída. No fundo, a grande maioria sabe que isto são palavras de ocasião e que poucos são aqueles que se podem dar ao luxo de assumir uma candidatura à mais difícil prova de clubes do mundo. Internamente, é normal que uma equipa como o FC Porto seja candidata a vencer todas as provas, mas de candidato a vencedor há um longo caminho a percorrer. Não podemos esquecer nunca que também Benfica e Sporting têm as mesmas ambições e que, fruto de anos e anos de seca, têm agora adeptos muito mais compreensivos e fáceis de agradar. Além disso, têm o apoio da esmagadora maioria da comunicação social, algo que o FC Porto nem sonha.

Nas últimas semanas não faltaram exemplos que comprovam tudo aquilo que escrevi. Jorge Jesus, em entrevista ao Record, afirmou não acreditar que uma vitória do Benfica numa final da Liga dos Campeões levasse tantos benfiquistas ao Marquês como quando os encarnados vencem o campeonato; antes da viagem à Covilhã para o jogo da Taça de Portugal, Jonas junta-se a Jorge jesus na campanha de desvalorização e de desculpabilização de uma possível eliminação em outras competições dizendo que "importante é o campeonato"; o Sporting vence no Dragão com a ajuda da equipa de arbitragem e nenhum meio de comunicação social falou no assunto, dando destaque apenas ao mau jogo do FC Porto; o mesmo Sporting perde frente ao Shalke 04 e culpa a arbitragem, atitude seguida por todos os meios de comunicação; o Benfica visita o Mónaco e empata a zero, Jorge Jesus junta-se ao choro de Marco Silva e ataca a UEFA.

Enquanto que o FC Porto usa os meios de comunicação para se auto-pressionar, Benfica e Sporting usam-nos para se desculparem. Enquanto que os adeptos do Benfica ficam felizes por vencer uma campeonato de longe a longe, os adeptos do FC Porto anseiam pelo dia de ver um treinador bicampeão pelas costas e os do Sporting nem sabem o que isso é e festejam segundos lugares ou eliminatórias da Taça como se de títulos se tratassem. Enquanto que para Benfica e Sporting os níveis de exigência estão em baixo, para o FC Porto estão estupidamente altos.

Não acho que o discurso adoptado pelo Benfica seja o correcto, uma equipa com aqueles recursos tem de aspirar a mais do que apenas à vitória do campeonato, mas também não acho justo que os portistas achem que o FC Porto tem obrigação de vencer tudo. A virtude anda ali pelo meio, e é assim que o Sporting, com um orçamento e plantem bem inferiores aos rivais, vai lutando. No ano passado não foi suficiente para que vencessem qualquer coisa, mas este ano estão mais fortes e não há ninguém que possa garantir que a história terminará da mesma forma.

A comunicação social, os dirigentes e os treinadores de ambos os clubes, Benfica e Sporting, vão passando a mesma mensagem em uníssono para que a equipa tenha a paz necessária para ir trabalhando. Uma vez que falta ao FC Porto o apoio dos media, cabe à direcção e aos meios de comunicação do clube ajudar Lopetegui a passar a mensagem aos adeptos. Porque situações como as vividas no Dragão nos jogos frente a Sporting e Bilbau são fruto da ignorância dos adeptos.

O FC Porto tem de começar a combater a contra-informação com informação, ou continuará a ficar mais isolado a cada dia que passa. Chega de tentar vender ilusões e passar frases feitas, os adeptos têm de ouvir a verdade e adaptar-se a ela.