19 de novembro de 2014

A fase de grupos da Liga dos Campeões ainda não terminou


Não é novidade para ninguém que devido ao afastamento precoce na Taça de Portugal o FC Porto apenas voltará à competição na próxima terça-feira. O jogo a contar para a Liga dos Campeões será disputado na Bielorrússia e, importa referir, será às 17h00 e não às 19h45 como é habitual na maioria dos jogos desta competição. O BATE Borisov será assim um bom "jogo-treino" para o regresso à competição após a paragem para os jogos das selecções. Com o apuramento garantido, os Dragões podem agora gerir os dois últimos jogos sem a pressão da obrigatoriedade de ganhar. Seguem-se alguns dos objectivos a que o FC Porto se deve auto-propor para o que falta da fase de grupos.

Amealhar mais 2 milhões de euros - As finanças do clube não vivem os melhores dias e a Liga dos Campeões sempre foi uma excelente fonte de receita. Com o prémio por vitória cifrado em um milhão de euros, o FC Porto tem a possibilidade de juntar mais dois aos €3,5 milhões já acumulados com as três vitórias e o empate alcançados até ao momento.

Garantir que ninguém está suspenso para os oitavos-de-final - Ao contrário dos rivais lisboetas, o FC Porto tem recebido poucos cartões amarelos, quatro no total, distribuídos por Óliver, Alex Sandro e Maicon (2). Lopetegui, mais do que ninguém, deve estar consciente de que inscreveu poucos defesas para a Liga dos Campeões, três centrais e três laterais contando com Ricardo. Sabendo que o terceiro amarelo vale um jogo de suspensão, é importante que o central brasileiro o receba já na próxima jornada e cumpra castigo no último jogo da fase de grupos. Alex Sandro e Óliver também devem ter cuidado extra neste capitulo.

Dar oportunidades aos menos utilizados - No ponto anterior referi a importância de livrar a equipa de ter jogadores suspensos na próxima fase. Para ajudar a cumprir esse objectivo, o plantel conta com jogadores capazes de substituir os habituais titulares sem comprometer a qualidade da equipa. Indi e Marcano podem formar a dupla de centrais na última jornada, enquanto que nos jogos que faltam Evandro e Rúben Neves podem render Óliver e Ricado pode jogar a lateral esquerdo. Pessoalmente apostaria na dupla Maicon-Marcano frente ao BATE Borisov - dando assim a oportunidade a Maicon para forçar o cartão amarelo e evitando expor o Indi a qualquer sobressalto - e poupava um ou outro jogador em cada partida. Nada de extravagante porque ainda há muito dinheiro em disputa, mas sempre com um olho no jogo seguinte a contar para o campeonato, até porque após a recepção ao Shakthar segue-se o FC Porto-Benfica.

Garantir o primeiro lugar - Vencendo nesta jornada, o FC Porto pode garantir imediatamente o primeiro lugar no grupo caso o Shakthar não vença os espanhóis do Athletic de Bilbau. Em caso de vitória ucraniana, tudo ficará decidido na última jornada, quando FC Porto e Shakthar medirem forças no Estádio do Dragão. O primeiro lugar no grupo dá a (possível) vantagem de defrontar um dos segundos classificados nos oitavos-de-final, aumentando assim um pouco a possibilidade de chegar mais longe na prova.

Nenhum dos pontos parece impossível de cumprir com sucesso, mas há que manter a equipa focada e impedir que qualquer um dos jogadores entre em campo com a sensação de que já não há nada em disputa. Estou certo que a direcção e o treinador saberão passar à equipa a mensagem de como ir longe na prova é importante para o clube. Se os quatro objectivos que mencionei forem alcançados, será talvez a melhor prestação de sempre do FC Porto na fase de grupos da Liga dos Campeões em todos os aspectos.