4 de novembro de 2014

Pouco a perder, muito a ganhar


No último jogo (vitória por 2-0 frente ao Nacional), Lopetegui lançou Óliver no lugar que tem sido de Herrera enquanto que Quaresma apareceu no onze por troca com Tello. O treinador do FC Porto decidiu assim poupar dois jogadores que podem ser fundamentais naquela que poderá ser considerada como a deslocação mais difícil até ao momento. Enquanto isso, Quaresma foi premiado com a titularidade depois de ter estado em bom plano nas últimas vez que foi lançado durante os jogos e Óliver ganhou algum ritmo de jogo, uma vez que desde que foi substituído ao intervalo do jogo frente a Sporting jogou apenas oito minutos.

No jogo frente ao Bilbau no Estádio do Dragão, no inicio da segunda parte, o meio-campo do FC Porto perdeu o controlo do jogo e foi engolido por um adversário mais aguerrido do que se havia mostrado até então. Durante esse período os Bascos chegaram ao empate, mas Lopetegui resolveu o assunto lançando Rúben Neves para o lugar do já desgastado Quintero. Os Dragões rapidamente reassumiram o controlo do jogo e deram ao treinador as condições necessárias para apostar em Quaresma que acabaria por marcar o golo da vitória. Óliver entrou pouco depois para ajudar a segurar a vantagem.

Olhando a estes acontecimentos e ao facto do Bilbau precisar desesperadamente da vitória, será de esperar que Tello volte à titularidade para explorar os espaços deixados pelo adversário e que Herrera regresse à equipa para da músculo ao meio-campo, mas para o lugar de Quintero. O colombiano tem estado em bom plano, mas Óliver encara o jogo com outra agressividade que pode ser fundamental para contrariar um Bilbau que costuma ser um osso duro de roer em San Mamés. As condições do terreno na hora do jogo também podem fazer a balança cair para um lado ou para o outro.

Seja de que maneira for, é de realçar o facto de Lopetegui ter poupado dois jogadores importantes na equipa ao mesmo tempo que deu ritmo a outros dois que foram fundamentais contra este mesmo adversário, deixando assim um pouco de lado a ideia que roda a equipa só por rodar.

As contas do grupo


Partindo do principio que o Shakhtar vence o BATE Borisov na Ucrânia - na Rússia fê-lo e logo por 7-0 -, o FC Porto fica matematicamente apurado caso vença em Bilbau. Em caso de empate fica a faltar apenas um ponto para o apuramento e três pontos em caso de derrota, sendo que haverá ainda dois jogos para o conseguir: na Bielorrússia frente ao BATE Borisov e no Dragão frente ao Shakhtar.

Como transformar um elogio numa provocação



O treinador do Bilbau, Ernesto Valverde, afirmou que em Espanha apenas Barcelona e Real Madrid estão a um patamar superior ao FC Porto, acrescentando que os Dragões, caso disputassem La Liga, estariam ao nível de equipas como Sevilha, Atlético de Madrid e Valência. O que este jornalista do Diário de Notícias fez foi pegar numa frase proferida de forma elogiosa e tentar conotá-la como negativa. Tendência que foi seguida pela generalidade dos media com especial enfoque na imprensa lisboeta que destaca a frase "o FC Porto ficaria entre o terceiro e o sexto lugares". O que todos eles se esquecem, Valverde incluído, é que o actual campeão espanhol é o Atlético de Madrid, uma das equipas com quem o FC Porto lutaria por um lugar no pódio...