20 de fevereiro de 2015

De opcional a obrigatório

Onze portista que defrontou o Boavista no Dragão
A lesão de Óliver frente ao Basileia veio limitar ainda mais as escolhas de Lopetegui para o próximo jogo. O espanhol junta-se assim aos castigados Alex Sandro, Casemiro e Danilo na lista de ausências confirmadas para a visita ao Estádio do Bessa, obrigando o treinador basco a remodelar o onze portista de forma significativa como só havia feito em jogos para a Taça da Liga nos últimos tempos. Curiosamente, já na primeira volta Óliver falhou o jogo com o Boavista por lesão no ombro, enquanto Casemiro ficou no banco e Alex Sandro fora dos convocados por opção técnica.

Apesar das várias alterações o FC Porto dominou do principio ao fim, mesmo após a expulsão de Maicon ao minuto 25, e só por manifesta infelicidade não venceu o jogo perante um Boavista sem qualquer ambição e completamente fechado dentro da própria área. O FC Porto foi brindado pelos axadrezados com uma agressividade e um anti-jogo constante, muito diferente do que se viu em outros campos já esta época.

O jogo da próxima segunda-feira não deve fugir muito ao ocorrido há cerca de quatro meses, onde será de esperar um FC Porto dominante e um Boavista a jogar para o pontinho. Até o onze azul-e-branco deverá ser semelhante ao que jogou no Dragão, entrando apenas Ricardo para o lugar de Danilo e preservando a titularidade de Fabiano que na altura foi substituído por Andrés. A única dúvida será mesmo entre Brahimi, Quaresma e Tello, sendo que um deles deverá começar no banco.

Quis o destino (e Nuno Almeida) que o onze que Lopetegui escolheu para o empate a zero no derby da primeira volta tenha nova oportunidade para levar de vencida o Boavista. Veremos como a equipa reage a tantas alterações, mas, principalmente, à ausência de Óliver Torres que tem dividido com Jackson e Danilo o estatuto de MVP na grande maioria dos jogos.