7 de março de 2015

A diferença que três faltas fazem

O FC Porto ganhou em Braga e fechou 100% vitorioso um ciclo que para os entendidos na matéria seria negro. Curiosamente, até diminui a distância para o primeiro lugar. Claro que o mérito dos Dragões é muito subjectivo, chegando bem perto de nenhum na cabeça e boca de alguns. As equipas que jogam com o FC Porto jogam de forma muito macia quando comparado com os jogos que fazem com o Benfica, dizem eles. Mais suave em que escala? 28 faltas contra 25. Estes dados podem ser facilmente confirmados num qualquer site com as estatísticas dos jogos.

A equipa treinada por Sérgio Conceição precisou de recorrer à falta por 28 vezes para vencer o Benfica por 2-1 na Pedreira, tantas como o Benfica fez, por exemplo, na vitória por 0-2 no Dragão. Contra o FC Porto, os bracarenses travaram em falta os adversários por 25 vezes. Curiosidade: as 28 faltas cometidas pelo Braga contra o Benfica valeram-lhe 8 cartões amarelos e um vermelho; as 28 faltas cometidas pelo Benfica contra o FC Porto renderam aos encarnados apenas 4 amarelos; ontem, os jogadores do Braga conseguiram ver o Amarelo apenas por 2 vezes nas 25 faltas que fizeram, enquanto os portistas receberam 3 amarelos em apenas 13 faltas. Não espantam assim as notícias que dão a dupla Luisão-Jardel como a mais limpa do campeonato (com apenas 1 amarelo cada) e que o Benfica tenha jogado já por 9 vezes em superioridade numérica enquanto que o FC Porto apenas o fez em 4 ocasiões.

A pergunta que se impões aos analista e opinion-makers é: a sensação de que os adversários geralmente parecem oferecer menos resistência ao FC Porto do que aos rivais não estará directamente relacionada com o facto do FC Porto ter efectivamente a equipa mais forte?