14 de março de 2015

Comparem a facilidade...

Enquanto o Benfica se caminha a passos largos para bater o recorde mundial de jogos e minutos a jogar em superioridade numérica numa época - há quem já fale nos bastidores da existência de editoras interessadas em escrever um livro usando a imagem de Jorge Jesus e com o título "A arte de jogar contra 10"-, importa reflectir um pouco sobre o assunto.

Como equipa que domina (ou pelo menos vai tentando) a maior parte dos jogos, é natural que os adversários vejam mais cartões amarelos e, por vezes, vermelhos. O que não é tão natural é a facilidade com que os mesmos cartões são mostrados quando comparados com os jogos de outras equipas. Já falei aqui por mais que uma vez que o árbitros têm muito mais facilidade em mostrar cartões amarelos aos adversários do Benfica do que aos do FC Porto, mesmo sendo os Dragões a equipa que mais domina o oponente. Dos vermelhos então, nem se fala...

Dentro dos jogos do Benfica propriamente ditos, veja-se a simplicidade com que os árbitros exibem os cartões vermelhos aos adversários das águias, mas quando chega a vez de mostrar um cartão vermelho aos jogadores do Benfica, jogadas como esta escapam com amarelo:


Mas podia ser pior, por vezes há quem escape sem nada...


Era interessante que alguém pudesse esclarecer o porquê disto. Será pela pressão mediática que o Benfica consegue exercer sobre os árbitros? Será pelas nomeações habilidosas que Pinto da Costa denunciou? Será a combinação dos dois? Ou existem outros factores?

P.S.: Será que desta vez também vão acusar o Braga de ter facilitado a vitória ao adversário?

5 comentários:

  1. Eu também posso mostrar faltas cometidas pelo porto, em que deviam ser expulsos e não foram.
    A unica coisa que concordo neste texto é que o braga facilitou e muito nestes dois jogos, este não é o braga que eu vi, no jogo contra benfica ou contra sporting.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai podes? Então tens aqui a oportunidade de o fazer. ais, desafio-te a colocar também os lances em que os adversários do Porto deviam ter sido expulsos e não o fizeram. Dou-te já uma pista para facilitar a pesquisa: o Samaris era um deles.

      Eliminar
  2. «
    Há sorte e há azarTiago Gomes infelizmente teve muito azar: já tem 10 anos de profissional, mas a primeira expulsão da carreira no campeonato tinha logo que acontecer contra o clube que o formou. E estamos a falar de umjogador que até este jogo nunca tinha visto mais que 3 cartões namesma época. Já o dizia Lopetegui, há sorte e há azar.
    »

    in "o tribunal do dragão"

    abr@ços
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
  3. Vocês apenas precisavam de ser honestos. Não se exigia mais. Após o árbitro ter perdoado vários cartões a jogadores do Braga e ser lesto a mostrá-los a jogadores do Benfica, é vergonhoso escreverem isto. A clubite não justifica tudo. A questão que se deve colocar é se o jogador foi bem ou mal expulso. E foi, ponto final! Ainda há bem pouco tempo, por exemplo, Jackson Martinez deu uma patada num adversário que seria expulsão e não jogaria frente ao Sporting. No mesmo jogo Quaresma pisou propositadamente a mão do adversário e teria de ser expulso igualmente.
    A imagem que colocaram a correr em cima, da suposta falta de Samaris, é grave porventura? Já olharam convenientemente para os jogos do Casemiro? Acham que chegaria ao fim em qualquer um deles?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mesmo desafio que coloquei ao outro anónimos: manda links das imagens. A falta do Samaris não é grave, o lance do Jackson era para vermelho e o Quaresma pisou o adversário de propósito? Depois eu é que preciso de ser honesto... Patada deu o Samaris no Jackson no jogo do Dragão e escapou com amarelo, isso sim.

      Eliminar