22 de março de 2015

Momento único no Dragão Caixa


O FC Porto venceu na tarde de hoje, no Dragão Caixa, por 3-2, o rival Benfica, qualificando-se assim para a Final-Four da Liga Europeia de hóquei em patins. Depois do empate a três em Lisboa, o jogo da segunda mão chegou ao intervalo com 0-0 no marcador. Não havendo a regra dos golos marcados como visitante, qualquer equipa teria de marcar para poder passar e o Benfica até marcou primeiro, tendo conseguido também chegar ao 2-2 após o FC Porto ter estado a vencer por 2-1. Hélder Nunes, que já havia marcado os outros dois golos portistas, fez o 3-2 final. O FC Porto é agora a única equipa portuguesa em prova.

No entanto, o jogo fica marcado por dois acontecimentos que, para mim, merecem tanto destaque como a vitória. O primeiro passou-se quando a equipa do Benfica chegou à 10.ª falta, dando assim aos Dragões o direito de tentar converter um livre directo. Reinaldo Ventura pegou na bola e começou a encaminhar-se para o local da marcação. Hélder Nunes, abraçou o capitão do FC Porto e acompanhou-o durante todo o percurso enquanto conversavam e sorriam. Chegados ao local, Reinaldo entrega a bola ao 78 azul-e-branco, como que dizendo "marca tu", e afasta-se. O Hélder não falhou e estava feito o empate.

Poucos minutos depois, o árbitro marca penálti para o FC Porto. Reinaldo coloca a bola no local e, após alguns segundos, dirige-se ao banco e volta a entregar a responsabilidade de converter uma bola parada ao Hélder que até nem estava em jogo no momento. E assim se fez o 2-1. No terceiro lance de golo - ainda estou a tentar perceber esta moda dos jogadores do Benfica fazerem marcação ao adversário directo encostando-lhe o stick ao pescoço... -, o 78 já não precisou da bênção do "padrinho" e, avançando com confiança, marcou o 3-2 final com toda a classe e frieza do mundo.

Estando Reinaldo Ventura de saída e o FC Porto em remodelação profunda no hóquei, teremos assistido hoje a uma passagem de testemunho histórica?