30 de março de 2015

Um 11 a precisar de elevar a exigência competitiva

Ainda com a época longe de terminar, por vezes vai sobrando tempo para pensar um pouco no que a próxima trará com ela. Se no início do mês me debrucei sobre os jogadores que o FC Porto tem emprestados, hoje faço o mesmo exercício mas os mais jovens. Não é novidade para ninguém que existem no clube vários valores jovens e com possibilidade de terem uma carreira ao mais alto nível. No entanto, tal só será possível se lhes forem dadas as condições para evoluir. Assim sendo, será contraproducente que estejam sem jogar, eternamente na equipa B, ou ainda emprestados a clubes de pequena dimensão. Os responsáveis da SAD, em conjunto com os treinadores das equipas A e B, têm de planear bem a próxima época de forma a que não se caia no erro de manter na formação secundária jogadores que já têm qualidade suficiente para jogar na Primeira Liga e que ficariam a atrasar a própria evolução ao mesmo tempo que atrasariam também os jovens valores que terminam esta época a formação e que farão em 2015/2016 o primeiro ano como profissionais. Alguns dos casos:

Kadú - Contratado ao Belenenses em 2008, encontra-se agora tapado por um batalhão de guarda-redes que o FC Porto tem sob contrato. Apesar de ter apenas 20 anos, está a demorar a concretizar tudo o que prometia há uns anos e até na equipa B tem dificuldades em ser titular face à ascensão meteórica de Gudiño. Precisa de jogar com regularidade e é isso que o clube tem de procurar que aconteça, nem que para isso tenha de sair por empréstimo.

Víctor García - Embora aparentemente não seja (ainda) jogador do FC Porto não deixa de ser um jovem com enorme valor. A caminho dos 21 anos merece fazer a próxima pré-época na equipa principal para disputar um lugar no plantel. Caso Lopetegui considere que ainda não tem tudo o que é necessário para ser uma opção válida, um empréstimo a um clube da Primeira Liga não seria de descartar.

Reyes - Chegou com rótulo de craque e de grande promessa do futebol mexicano, mas em duas épocas ainda não conseguiu afirmar-se de dragão ao peito. Como o investimento foi grande, o FC Porto não se pode dar ao luxo de o ter como reserva mais uma época. Adivinha-se então uma mudança de clube para o defesa na próxima temporada. A única dúvida parece mesmo ser se será por empréstimo ou em definitivo.

Lichnovsky - Com 21 anos acabados de fazer, viveu o primeiro ano da aventura europeia como jogador da Segunda Liga. Em 2015/2016 o cenário tem de ser diferente, sendo que caberá a Lopetegui decidir entre a integração na equipa A ou o empréstimo.

Kayembe - Não sendo um lateral-esquerdo de origem, o treinador do FC Porto vê nele as características necessárias para a posição e até pediu a Luís Castro que o utilizasse na defesa na primeira metade do campeonato. Em Janeiro foi emprestado ao Arouca e com isso voltou a ser extremo. Se Lopetegui o vê como um futuro defesa, na próxima época o clube deve procurar-lhe colocação numa equipa que tenha intenções de o utilizar como tal.

Mikel - O nigeriano foi traído pelo destino quando nos primeiros treinos da pré-época fracturou uma perna, arruinando assim a temporada por completo. Após uma lesão destas é importante voltar a jogar com regularidade para recuperar o ritmo e a confiança. Assim sendo, a próxima época será de vital importância para Mikel e o FC Porto deve respeitar isso assegurando-se que o jogador terá tempo de jogo seja onde for.

Leandro Silva - Perto de completar 21 anos, o médio portista tem feito uma época de bom nível na equipa B. A qualidade de passe e a forma eficaz com que bate as bolas paradas fazem com que justifique uma oportunidade no escalão máximo do futebol português.

Pavlovski -  Já há quase dois anos a jogar na equipa B do FC Porto, o sérvio tem tido imensas dificuldades em assumir-se como titular, apesar de ter prometido bastante ao serviço da selecção vencedora do Europeu de Sub-19 em 2013. Se for continuar no clube tem de jogar com regularidade, nem que para isso seja necessário sair por empréstimo.

Frédéric - Talvez a maior revelação da época no que à equipa B diz respeito. Frédéric teve em 2013/2014 uma época bastante difícil em virtude de lesões complicadas mas apareceu renovado para 2014/2015, assumindo-se como um dos grandes destaques da Segunda Liga. Neste momento não faltarão na Primeira Liga interessados em contar com ele já a partir do próximo Verão.

Ivo Rodrigues - Completa hoje 20 anos e joga com uma responsabilidade e maturidade táctica de quem anda nisto há anos. Estamos perante uma das enormes promessas do FC Porto e desejo fortemente que seja tratado como tal. Tapado por vários elementos, adivinha-se novo empréstimo em 2015/2016, mas é apenas uma questão de tempo até que se afirme no Dragão.

Gonçalo Paciência - Toda a gente conhece e não há volta a dar: tem de fazer parte do próximo plantel. Provavelmente o próximo grande ponta-de-lança do FC Porto e da selecção. A Segunda Liga já é muito pequena para ele.