22 de abril de 2015

Eutanásia

Competência, Paixão, Ambição e Rigor. Segundo Pinto da Costa são estes os pilares que suportam o sucesso do FC Porto. Apenas estando os quatro bem fortes é possível contrariar quando outros factores fundamentais falham. Esses factores são a sorte e a experiência. O facto de o Bayern de Munique ter passado a eliminatória com um total de 7-4 quando no final do primeiro jogo perdia por 1-3 deve-se em grande parte a sortes distintas para as duas equipas e numa falta gritante de experiência no grupo portista, mas primeiro quero focar-me nos factores que o FC Porto pode controlar.

A ausência de Alex Sandro e de Danilo em simultâneo eram evitáveis e não há como contornar essa questão. Neste caso faltou rigor a Lopetegui que, como tive oportunidade de aqui alertar no passado 19 de Novembro, não geriu a questão disciplinar do plantel e, como tal, teve que se sujeitar ao factor sorte que, como já sabemos, não quis nada com o FC Porto neste caso. O que me deixa frustrado não é o facto da situação ter sido mal gerida, mas sim o facto de não ter sido gerida de todo. O assunto foi sendo varrido para debaixo do tapete e terminou com Reyes, que nem inscrito foi na fase de grupos tal é a confiança que o treinador deposita nele, a jogar como lateral direito no jogo mais difícil de toda a época. Talvez aqui tenha havido alguma falta de competência, porque com dois jogadores rotinados na linha como estão Maicon e Ricardo, não havia necessidade de inventar um lateral em quatro ou cinco treinos. As bolas paradas defensivas sempre foram um ponto fraco deste FC Porto e um golo em cada mão na sequência de um canto em muito ajudaram neste desfecho.

A ambição, bem presente durante a primeira mão, parece que não foi incluída na bagagem para a Alemanha. Uma entrada a medo e com pouca personalidade por parte dos Dragões permitiu ao Bayern de Munique dominar por completo e marcar golo atrás de golo. E aqui é que fazia falta muita paixão mas também muita calma e experiência. Após o 2-0 era fundamental que os jogadores do FC Porto percebessem que, de forma a poder continuar a lutar pela eliminatória, tinham de conseguir cortar o ritmo ao jogo para chegarem vivos ao intervalo. Não foi o que aconteceu e com 5-0 no marcador só um milagre tirava o Bayern das meias-finais. Olhando friamente a tudo o que não foi apresentado pelo treinador e pela equipa, quase se pode dizer que o FC Porto se entregou voluntariamente para morrer.

O factor Sorte

Mesmo dentro da sorte há várias variantes. Por exemplo, o golo de Müller que bate no defesa portista e trai Fabiano em contraste com o remate de Boateng para a própria baliza ainda na primeira mão que acabou com uma enorme defesa de Neuer. Mas não foi só por aqui que o FC Porto teve azar. Faltou um árbitro que tivesse tomates para expulsar o guarda-redes do campeão alemão ainda no primeiro minuto de jogo, ou que tivesse tomates para expulsar o lateral-esquerdo da mesma entidade logo no arranque do segundo tempo do jogo no Dragão, ou que mais tarde fizesse o que a lei manda e mostrasse o amarelo a Boateng que o impediria de jogar na segunda mão. Não é o caso de qualquer uma destas decisões não poder ser aceite de forma isolada, mas quando se comparam com os lances que tiraram Danilo e Alex Sandro do jogo na Alemanha percebe-se aqui um padrão. Padrão esse que foi mantido pelo árbitro inglês em Munique. Jackson vê cartão amarelo por alegada simulação quando sofre falta clara, mas Götze passou o jogo a mergulhar sem consequências e Badstuber foi o único jogador da casa a ver cartão amarelo e para isso teve de fazer uma falta para vermelho directo. Mas o melhor ainda estava para vir. Bastou o FC Porto marcar um golo, o 6-4 na eliminatória naquele momento, e logo depois ameaçar o 6-5 para que o árbitro assumisse o papel de defensor da equipa da casa para no espaço de 10 minutos perdoar nova expulsão a Badstuber, inventar duas faltas ofensivas ao ataque portista e à primeira oportunidade expulsar um jogador do FC Porto.

O FC Porto não morreu aqui, longe disso. Mas o meu maior lamento vai para o facto de a experiência acumulada nesta eliminatória por treinador e jogadores em pouco ou nada vá ser aproveitada pelo FC Porto. Isto porque na próxima época voltaremos a ter meia equipa nova e aqueles que muito cresceram nestes jogos estarão a jogar por aqueles que têm todos os anos €500 milhões para gastar e que quando confrontados com a perda de jogadores fundamentais têm um qualquer Carballo ou Atkinson a repor a ordem natural das coisas. E quando assim é nem toda a competência, toda a paixão, toda a ambição e todo o rigor do mundo são suficientes. Quanto mais sem nada disto.

15 comentários:

  1. desta vez, não estou assim tão pessimista em relação a desbaratarmos à equipe... (até porque perdemos. e, sem apelo nem agravo.) Sim, Jackson irá. Como vai Danilo. Mas os outros crescerão.
    Ou sejam, espero sinceramente que o Augusto não tenha razão!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Danilo já foi e o Jackson deve segui-lo. o Óliver e o Casemiro são emprestados... Já são possivelmente quatro em onze. Mas quem me dera estar enganado, por mim não saía mais nenhum dos titulares absolutos.

      Eliminar
    2. Já agora, foi importante hoje a vitória dos B sobre o Fullham e passagem à final... Pode não querer dizer nada, mas sentem-se sinais positivos...

      Eliminar
    3. Temos muito talento por aí emprestado, na equipa B e nos sub-19. Haja coragem e engenho para os aproveitar como se fez com o Rúben Neves.

      Eliminar

  2. @ Augusto

    os verdadeiros portistas vêem-se em todos os momentos. todos.
    obrigado pela clarividência, numa altura em que é complicado manter a calma, sequer conseguir articular meia dúzia de palavras.

    abr@ço
    Miguel | Tomo III

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simplesmente não é altura para entrar em desespero, temos um jogo muito importante domingo e é preciso muita calma para o vencer. Que a equipa perceba isso e jogue mais motivada que nunca. Este triste campeonato é o único troféu que lhe resta para ganhar.

      Eliminar
  3. Sem desprimor para a sua pessoa,e triste ser bipolar,e se vir bem no jogo anterior Alexan,leva um amarelo correto,mas de uma displicência de um vulgar como muitos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fale por si, porque certamente não fui eu a ficar eufórico com a vitória na primeira mão. E o Alex Sandro é tudo menos vulgar como muitos outros, o amarelo que viu foi na sequência de um lance dividido em que tenta antecipar-se ao adversário. Como já disse, não está em causa a justiça do cartão mas a falta de acção do árbitro perante entradas iguais ou piores de jogadores do Bayern sobre os do FC Porto.

      Eliminar
    2. Anónimo, estupidez é o que não lhe falta. O primeiro comentário deu a entender mas os dois que agora fez e não aprovei denunciaram completamente a sua cor. Vá dar uma volta.

      Eliminar
    3. Racista,o que a cor tem a haver
      Havias de levar com um gajo do estado islâmico no boca e nos dedos
      Tem respeito pela, Eutanasia o palhaço

      Eliminar
    4. Estava a falar da cor clubistica, mas já vi que também não ficas a dever muito à inteligência.

      Eliminar
  4. Se perderemos o campeonato tudo o que Lopetegui fez ate agora valeu a pena!
    Não tenham duvidas nenhumas!
    Se não estou em erro, nenhuma equipa que entrou na LC sem acesso directo conseguiu o que esta equipa conseguiu!
    No campeonato fez se os possíveis para estar a frente mas temos uma equipa nova e falhamos em momentos importantes mas Lopetegui mais que ninguém tem mérito em fazer tanto em tão pouco tempo!
    Outros há que hoje são aclamados futuros treinadores do poderoso Fenerbace que levaram 5-0 contra o rival directo e com orçamentos enormes apenas ganharam campeonatos e taças da liga e por desaires amiores que o de ontem mantiveram-se no lugar!
    A imprensa tenta nos levar para baixo e adoram bater no FCP nao sejamos nos adeptos do FCP a fazer isso!
    Não sejamos desesperados, mas tenhamos esperança que o clube esta em boas mãos!
    Admiro os bloggers portistas que após uma derrota como ontem ainda têm uma palavra justa e sensata a dizer porque a mim quase não me apetece mesmo falar de nada acerca de futebol!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Embora possa não o ser sempre, faço os possíveis para ser justo com todos.

      Eliminar
  5. Tenho sempre a crença de que o meu POrtinho pode ganhar seja a quem for.concordo que eles tem mais experiência mas também afirmo, e só não vê quem não quer que fomos condicionados pelas decisões de Carballo.na 1a mão benat não teve espaço e pq? Danilo não deixou.agora é preciso jogar bem e arrumar com os mouros.força FCP.abraço a todos,Lucas.

    ResponderEliminar
  6. http://missppintopiggy.blogspot.pt/

    ResponderEliminar