25 de novembro de 2015

Citius, Altius, Fortius

Não sei porquê mas tenho a sensação que já escrevi isto aqui. E se tenho essa sensação é porque isto já anda na minha cabeça há muito tempo. Falo concretamente da dificuldade que o FC Porto sente quando os próprios jogadores não são claramente superiores aos adversários. Lopetegui é um treinador muito limitado tacticamente e só muito esporadicamente consegue tirar um coelho da cartola.

Pinto da Costa - que de uma assentada denegriu não só o trabalho de Vítor Pereira e André-Villas Boas, que em conjunto ganharam, entre outras coisas, três campeonatos e uma Liga Europa, mas também de todo o actual plantel - disse que com James, Hulk e Falcao qualquer um ganhava, mas por ter a equipa que tem agora é que precisa do Lopetegui. A minha pergunta é simples e directa: para quê?

Para continuar a insistir em ideias absurdas que nunca darão resultados? Para continuar a dizer nas conferências de imprensa que todo e qualquer adversário é de exigência máxima e depois rodar meia equipa? Ou para o FC Porto continuar dependente do que cada jogador consegue fazer individualmente e não como parte de uma equipa?

O nível de exigência no Dragão está a diminuir ano após ano. A continuar assim, não demora muito tempo até se andar a festejar uma Taça da Liga na Avenida dos Aliados. Mas antes disso acontecer proponho o seguinte: mudar o lema actual - Competência, Paixão, Ambição e Rigor - para Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Sempre se ajusta mais para uma equipa que não ganha nada há mais de dois anos e nem parece muito empenhada em alterar isso.

2 comentários:

  1. O meu post de ontem no mural do facebook

    "BYE BYE CHAMPIONS, NÃO ACREDITO EM MILAGRES
    Fizemos um jogo de satisfaz + com muita água benta para medíocre, medíocre mesmo!!! Primeiros 25m de controlo e ascendência do FCP sobre o adversário, mas a partir daí foi sempre a piorar, acabando o FCP por sofrer um golo de penalti, no qual se aceita a decisão do árbitro pois houve contacto. Se na primeira parte foi notória a falta de profundidade ofensiva no último terço do terreno (não me recordo de nenhum remate do Aboubakar), a segunda foi ainda pior. Fomos precipitados, denotamos ansiedade, falhamos passes, não construímos jogo, zero, zerinho, parecíamos o rival que chora desde sábado. O jogo correu tão mal que até o Iker Casillas alinhou pelo dilúvio geral, concedendo o primeiro FRANGO de azul e branco para mais tarde recordar. Perdemos porque merecemos a derrota, fomos incapazes de contrariar o jogo do adversário e ainda mais ineficientes na imposição do nosso jogo. Em suma, num só jogo o FCP hipotecou a champions quando podia ter ganho o jackpot. BYE BYE CHAMPIONS, NÃO ACREDITO EM MILAGRES!!!"

    O grande responsável por esta tragédia foi o senhor Lopetegui, não só planeou mal o jogo, como foi incapaz de desconstruir o plano tático do adversário. Assim, se partiu de um planeamento errado, se foi incapaz de mudar, de ter um plano b ou outra estratégia, então errou, falhou, é o responsável! Se até estivemos relativamente bem nos primeiros 25m, o tempo restante foi o assistir à incapacidade coletiva e individual de mudar o jogo, e se a isto juntar-mos o avolumar de passes errados, erros individuais e inoperância do mister então temos a justificação para a derrota. Era um jogo importantíssimo, fundamental para as nossas aspirações mas mais uma vez falhamos. O que acho mais inaceitável é concluir que no banco tivemos um homem incapaz de dar a volta à situação e ter sido completamente anulado pelo homem sentado no outro banco. Foi uma vitória tática, uma lição de futebol e estratégia. O Kiev fez um grande feito, venceu onde quase ninguém vence, mas mereceu, foi mais equipa, foi muito melhor, o treinador adversário foi muito melhor. Até hoje estive sempre com Lopetegui, continuarei a estar com o mesmo até ao final da época, mas começo a questionar o que estará errado, a ter dúvidas sobre as nossas possibilidades de vencer títulos esta época. Quanto à champions, sinto um pessimismo condenatório que me leva a ver as coisas de uma forma mais realista, uma vez que, para além de achar que não teremos estofo para a decisão, o histórico em Inglaterra não é famoso. É verdade que também podemos surpreender, mas a recorrência dos mesmo erros, a incapacidade de mudar, faz-me sentir esse pessimismo realista. Se for mais otimista, está difícil depois deste jogo, posso pensar que foi apenas um mau dia e um mau jogo. Queira Deus que assim seja, que ainda sejamos capazes de vencer títulos, de vencer o mais ambicionado, o campeonato.
    Ps. A minha crítica pretende ser construtiva, tentar encontrar as razões para o sucedido, ser ponderado na análise dos factos. No final da época haverá balanços, até lá que a água corra pelo bom caminho, caso contrário haverá mudanças. Saudações!
    Ricardo Gomes

    ResponderEliminar
  2. Excelente. Subscrevo 100%. A incompetência de Lopetegui parece o virus da gripe, contagia toda a estrutura do clube.

    ResponderEliminar