25 de novembro de 2015

Citius, Altius, Fortius

Não sei porquê mas tenho a sensação que já escrevi isto aqui. E se tenho essa sensação é porque isto já anda na minha cabeça há muito tempo. Falo concretamente da dificuldade que o FC Porto sente quando os próprios jogadores não são claramente superiores aos adversários. Lopetegui é um treinador muito limitado tacticamente e só muito esporadicamente consegue tirar um coelho da cartola.

Pinto da Costa - que de uma assentada denegriu não só o trabalho de Vítor Pereira e André-Villas Boas, que em conjunto ganharam, entre outras coisas, três campeonatos e uma Liga Europa, mas também de todo o actual plantel - disse que com James, Hulk e Falcao qualquer um ganhava, mas por ter a equipa que tem agora é que precisa do Lopetegui. A minha pergunta é simples e directa: para quê?

Para continuar a insistir em ideias absurdas que nunca darão resultados? Para continuar a dizer nas conferências de imprensa que todo e qualquer adversário é de exigência máxima e depois rodar meia equipa? Ou para o FC Porto continuar dependente do que cada jogador consegue fazer individualmente e não como parte de uma equipa?

O nível de exigência no Dragão está a diminuir ano após ano. A continuar assim, não demora muito tempo até se andar a festejar uma Taça da Liga na Avenida dos Aliados. Mas antes disso acontecer proponho o seguinte: mudar o lema actual - Competência, Paixão, Ambição e Rigor - para Esforço, Dedicação, Devoção e Glória. Sempre se ajusta mais para uma equipa que não ganha nada há mais de dois anos e nem parece muito empenhada em alterar isso.