11 de fevereiro de 2016

Rúben Neves ou Chidozie?

A resposta parece simples mas não deveria ser. Face às lesões de Maicon e Marcano, José Peseiro vê-se agora com um enorme problemas entre mãos: decidir se recua o médio em melhor forma para o centro da defesa ou se lança como titular um jovem sem qualquer jogo na primeira liga e que ainda no ano passado era também ele médio. A tentação de colocar Danilo ao lado de Indi deverá levar a melhor sobre o técnico portista, mas Rúben Neves não aparenta ter a capacidade física do ex-Marítimo para disfarçar as deficiências da equipa na transição defensiva. Pede-se por isso que Herrera acorde definitivamente para a vida ou, pelo menos, para este jogo.

Tudo isto era evitável. Bastava a SAD não andar a brincar com a sorte ao ter despachado dois defesas-centrais em Janeiro sem ter contratado ninguém. Lichnovsky foi emprestado para Espanha e Maurício - que apesar de não ser nada de especial era pelo menos um jogador habituado à posição - foi para o Marítimo. Agora a bomba rebentou nas mãos de Peseiro e logo num jogo em que qualquer resultado que não seja a vitória significa um ponto final (se é que já não foi posto no último fim-de-semana) na luta pelo título de campeão.

Que ninguém se engane: isto não é azar, é incompetência e negligência.