17 de abril de 2016

Visão 1620 - FC Porto Lab


O nome não prima pela originalidade e a proposta até já foi dada aqui, mas nunca é demais repetir: o FC Porto tem de rever e alargar os profissionais das mais diversas áreas ligadas à preparação, seja ela física ou psicológica, da equipa profissional de futebol de forma a não estar dependente da competência (ou falta dela) das diferentes equipas técnicas que forem contratadas.

Além dos habituais médicos, fisioterapeutas e enfermeiros e da adição de um director desportivo, seria um passo pioneiro a contratação de psicólogo(s), preparador(es) físicos, recuperador(es) físicos, nutricionista(s) e treinador(es) de guarda-redes para trabalharem de forma permanente e exclusiva para o clube.

Este departamento, contratado directamente pelo clube, teria como missão preparar o plantel física e psicologicamente, através de treinos individuais e colectivos, para todos os cenários possíveis, como uma espécie de apoio ao treinador e respectiva equipa técnica, deixando as estes apenas a tarefa de trabalhar a vertente táctica, garantindo assim uma equipa competitiva sob quaisquer circunstâncias.

Os profissionais mencionados teriam de ser cuidadosamente seleccionados e teriam ainda como responsabilidade extra o dever de estarem em formação constante, aprendendo e desenvolvendo novos métodos de treino, tendo em vista manterem-se na vanguarda da respectiva actividade profissional.

Os custos associados a este departamento, além de serem uma gota naquilo que é um orçamento de um clube do nível do FC Porto, seriam facilmente recuperados pelas performances da equipa e, talvez, pelo facto de deixar de ser preciso ter nos quatros aquele jogador extra como reserva caso haja uma crise de lesões.