15 de setembro de 2016

Carácter e qualidade

Escrevi a propósito das declarações de Aboubakar que muito do mal do FC Porto se deve a jogadores com falta de carácter. No entanto esse não é o único problema, por vezes é mesmo a falta de qualidade que salta à vista. Herrera não podia ser um exemplo mais flagrante.

O internacional mexicano é um dos habituais capitães, por isso quanto ao carácter estamos conversados. O problema reside única e exclusivamente na vertente futebolistica. Este já é a quarta temporada de Dragão ao peito mas as dificuldades apresentadas por Herrera são as mesmas desde o primeiro dia: falta qualidade técnica e rigor táctico e agressividade no momento defensivo. Se pelo menos as virtudes fossem suficientes para disfarçar as lacunas ainda dava para entender o facto de o camisola 16 ter tantos minutos jogados, mas nem isso.

Nuno Espírito Santo tem nove (!) médios no plantel, não consigo perceber nem aceitar por que motivo joga aquele que, na minha opinião, é o pior deles todos. O FC Porto não pode escolher entre o carácter e a qualidade, para jogar neste clube os jogadores têm de ter ambas as coisas ou então procurar outro lugar para seguir a carreira. Vejo um potencial enorme nesta equipa, por isso mesmo espero que não seja preciso Herrera lesionar-se, como aconteceu com Maxi, para que possa jogar outro jogador que dê mais garantias. Estou farto de ver titularidades por decreto no meu clube.